Winter is coming !

Cheguei na Irlanda em agosto, peguei lindos dias de sol, dias agradáveis onde usei até macacão de alcinha, acredite se quiser rs ! Agora para sair de casa eu preciso no mínimo de  2 blusas (térmica + básica) + casacão!  Saio  literalmente toda “empacotada” e ainda assim, sinto um frio danado e escuto sempre a mesma frase “nem estamos no inverno ainda!”, pois é… imagina só daqui há dois meses quando for inverno!

Itens indispensáveis nesse frio: cachecóis, golas de lã, gorro, luvas, botas forradas com pelinhos, calça e camisa térmica, meia calça de algodão, pijamas de soft…tudo ajuda a segurar um pouco o frio.

Todos esses itens eu encontrei na Penney’s e os preços são ótimos. Me perguntaram os preços de alguns itens e montei essa lista para você ver o que vale a pena trazer e o que vale a pena deixar para comprar aqui, porque isso é uma decisão muito pessoal .

Golas de lã entre €2,50 e €4,00

Luvas de lã entre e gorros  € 1,50 e €4,00

Pijamas bem quentinhos de €7,00 a € 15,00

Calça e camisa térmica €6,00

Meia calça de algodão 2 por € 5,00

Bota forrada (foto) €8,00

Casacão forrado e impermeável € 25,00

Moleton €7,00

Segunda pele em malha € 4,00

Sapatinhos para andar dentro de casa entre  €2,00 e € 6,00

 

 

 

Ainda não encontrei protetor de ouvido e assim que encontrar eu atualizo aqui !  =)

 

 

 

 

Anúncios

Carrot cake, eca!

Primeira semana em Dublin, explorando a cidade e descobrindo as lojinhas de doces, vitrines super convidativas , resolvemos entrar em uma loja, minha filha  e eu, para comer um doce.

Na vitrine tinha vários doces mas o nome não batia com o visual, o brownie não era como os que eu conhecia e olha que de brownie eu entendo! Então, optamos em escolher pelo cardápio porque daí víamos os ingredientes e não ía ter erro.

Optamos pelo bom e velho bolo de cenoura, “carrot cake”. Ficamos ansiosas esperando pela nossa fatia, graças a Deus pedimos só uma !

Como uma imagem vale mais que mil palavras, olha só o bolo de cenoura irlandês:

 

 

Não dá para descrever o quão ruim é esse bolo… eu e minha filha tentamos, mas a gente comia e dava “ânsia de devolução”, teve uma hora que eu tomei esse leite no gargalo porque não ía aguentar esperar chegar um copo.

Fomos embora e ríamos tanto da situação… só não foi a pior experiência gastronômica que tive porque liderando o meu  ranking  pessoal está o “pudim radioativo” feito por mim e o  “arrozinho azul” de Pizzo, Italy.

Conselho de amiga: certifique-se de ver o bolo antes de pedir e como uma amiga me disse, vai de mufin que não tem erro!  Dica valiosa Flávia, obrigada!!  =)

 

Adaptação da Jujuba e Lola

Três semanas se passaram desde a chegada da Jujuba e Lola na Ilha e muita coisa aconteceu nesse período…

Apesar de estarem felizes e brincando, elas se adaptaram à casa nova mas não a alimentação. Acredite, a dificuldade em se adaptar a alimentação também foi extensa aos meus pets!

Lola perdeu ainda mais peso, além de ter ficado um pouco doente antes do embarque, chegando aqui ela não estava comendo nada. Semana passada eu encontrei a Royal canin para gatos sensíveis e comecei a dar de grão em grão na mão, porque ela não chegava nem perto do pote e aos poucos ela foi aceitando.  Agora já come sozinha, o que é um avanço !

Jujuba está na terceira ração e não está gostando, vira e mexe ela come a da Lola. Quando eu misturo patê ela até come melhor, mas ela é muito sensível e não posso lançar mão do patê sempre porque ela fica cheia de alergias.

Dica pra quem estiver vindo: traga um pouco de comida do seu animalzinho porque até encontrar o mesmo  ou algo semelhante aqui ,eles irão sentir.  Nos supermercados só encontrei marcas de segunda linha  (nota-se que é uma ração bem inferior) e nos pets, além de não ter encontrado muita opçã0, o que encontramos é bem caro. Meu objetivo agora é encontrar uma ração que a Jujuba aceite e coma de boa.

Dica: tapetes higiênicos são bem mais em conta na Eurogiant =)

 

Até breve! =)

 

 

 

Levando meus pets para Irlanda

Quando comecei a pesquisar sobre “como levar animais de estimação para Irlanda”  eu fiquei desesperada porque é uma lista tão extensa de exigências a cumprir que desanima qualquer um. No início do ano, íamos levar nossa cachorrinha, Jujuba , para passar férias com a gente na Itália mas desistimos quando vimos quanta coisa tínhamos que fazer. Porém agora seria para morar então… Parei, sequei as lágrimas (sim, chorei muito com a lista de exigências e o medo de não conseguir trazë-las), respirei fundo e comecei a fazer uma lista em um papel para não me perder. Afinal, tinha que organizar isso porque sem eles nós não iríamos.  

Cada país tem suas exigências e na Irlanda não poderia ser diferente. O meu maior medo  era  elas “caírem”na quarentena ou serem mandadas de volta . Uma das exigências da Irlanda é que tudo seja feito com um despachante aduaneiro e com empresas aéreas determinadas pelo governo Irlandês ( tudo isso encontrei no site do http://www.citizensinformation.ie ).

Entrei em contato com algumas empresas que fazem o transporte de carga viva, porém só uma me passou a segurança que eu precisava. Como se tratava dos meus animais, eu fui bem chata nesse processo , perguntei um milhão de coisas e essa empresa foi a única que me respondeu “um milhão de vezes” e sempre de forma clara e objetiva. Quem me deu todo suporte na Point foi o Andre. A empresa, que é de São Paulo,  me deu todo suporte necessário, me orientou nas partes que cabiam a mim no Rio de Janeiro e fui fazendo tudo que era preciso.

A rotina foi basicamente essa: 

  • fazer a microchipagem (primeira coisa a ser feita). Observe se a data foi colocada corretamente e exija certificado comprovando a data exata da microchipagem. 
  • no dia seguinte, vacinei contra a raiva ( verifique a data e exija carimbo no cartão de vacinação, a data não pode ser a mesma que a microchipagem)
  • aguardei 32 dias e fiz o exame de sangue (eles me orientaram quanto a coleta e envio da amostra para São Paulo para sorologia)
  • aguardar 90 dias de quarentena para embarque ( eles estão aptos para embarque a partir de 122 dias aproximadamente, desde a data da microchipagem) 

Após essa rotina, preparamos os documentos para o embarque dos animais, procurações , certificado de microchip ,carteirinha de vacinação  de cada uma  e enviei tudo para o Andre, da Point cargo em São Paulo. Fiquei com cópia autenticada de tudo porque elas precisariam para o embarque do Rio até São Paulo. Nesse momento, a Point me envia os Kennels que elas irão utilizar na viagem ( cerca de 40 dias antes do embarque para elas irem se acostumando com a caixa).

 Primeiro desafio : embarque delas do Rio para São Paulo. Uma amiga ficou responsável pelo embarque e no dia, se dirigiu a empresa para realizar o despache. Segundo ela, foi tudo simples e levou cerca de uma hora e meia.  Primeira foto que recebi via whatsApp das minhas bolinhas de pêlos na caixinha ! A aventura delas já estava começando !

img-20160928-wa0052

Elas chegaram em São Paulo a noite e o Andre estava esperando por elas. O amor aos animais é tão grande que ele não resistiu e levou as minhas filhotas com ele pra casa! No dia seguinte a rotina delas começaria cedo no aeroporto de Garulhos e foi super tranquilo pra mim porque toda essa parte de emissão se certificado (CZI),  liberação junto a receita federal e mais um monte de coisas necessárias para a viagem eram de responsabilidade da Point Cargo então, só me restava aguardar . Como tudo foi feito bem direitinho, tudo ok  para o embarque delas.

De São Paulo para Dublin:

  1. Reparem nas carinhas de tranquilas que elas estão!!
  2. Jujuba com o Andre, super atencioso e carinhoso! 

Após receber essas fotos, elas embarcaram e no mesmo momento começa minha agonia!

Não sei se todos sabem, mas no meio das minhas pesquisas, descobri que cães com focinhos curtos tem  um risco maior para viagens de avião. Pela anatomia diferenciada, a troca de temperatura ocorre apenas pela respiração e pode causar falta de ar e até mesmo a morte do animal, se eles se adaptassem como nós, pela transpiração, esse risco seria minimizado . O Andre me tranquilizou quanto a isso  porque eles enviam cães com essa anatomia todos os dias para vários lugares do mundo, mas ainda assim, eu não conseguia parar de pensar na matéria que li.  Coisa do ser humano =(

Meu medo era imenso. Foram 24 horas de angústia porque não tinha informações da conexão na Alemanha e até eu estar com elas, teriam passado exatas 24 horas. Chegamos no terminal de carga as 16:15 h, uma hora antes do horário marcado pela Lufthansa. 

A alegria de ver elas chegando foi tão grande que eu nem lembrei de filmar, não queria perder nenhum detalhe da alegria delas misturadas ao nosso alivio de vê-las bem. Ao escutar a nossa voz elas ficaram loucas! Latidos, miados e choro! 

Família completa! Hora de matar as saudades  e enquanto eu escrevo , olha quem aparece por aqui: Minha Jujuba ! 

20161004_162140

Empresa responsável por trazer meus animais: Point Cargo Logística 

http://www.pointcargo.com.br

https://www.facebook.com/point.cargo.1/about