Fui no Brasil e…

Quando fiz a postagem de um ano na Irlanda, eu estava com tanta saudade de “casa” que eu tinha certeza que aqui não era o meu lugar. Não que eu já esteja me vendo “envelhecer” na Irlanda, mas depois da minha ida ao Brasil, alguns sentimentos foram mudando e eu estou me sentindo mais confortável  e feliz em estar aqui.

Sei que muitas coisas por aqui não funcionam como deveria, que o clima (quase sempre) dá nos nervos, que os “knackers” enchem o saco de vez em quando ( ou seria sempre ?) mas ter o direto de ir e vir preservado, faz toda diferença – principalmente quando se tem filhos adolescentes  –   que é o meu caso.

Ah, e como disse o meu amigo Athila S. no comentário da minha matéria de  Um ano na Irlanda:  ” aqui tem o burgão, os churrascos e os amigos”  e isso faz tudo ficar bem mais  fácil e feliz!

Então eu posso dizer que fui ao Brasil  e descobri que quero ficar por aqui mais um pouco 🙂

 

Anúncios

Um ano de Irlanda.

Essa semana completaremos um ano na Irlanda e eu parei para pensar um pouco sobre tudo que aconteceu, sobre estar certa ou não a respeito da nossa escolha , sobre como me sinto a respeito de morar fora.

Claro que muita coisa mudou na minha vida em um ano. Largar tudo pra trás : histórias, objetos, costumes, família, amigos  –  não foi uma tarefa fácil.  Não foi tão simples “resetar” a minha vida. Mergulhar numa outra cultura, outro país, outro idioma, clima… uma infinidade de detalhes tão diferentes do que eu tinha,  foi  –  e continua sendo  –  muito difícil pra mim.  Morar fora é uma decisão muito pessoal ( já abordei esse tema aqui anteriormente : http://bit.ly/2icyO34 ), que depende muito do que você deseja. Tenho amigos que vieram pela facilidade de viajar pela Europa, outros para fazer intercâmbio e adquirir experiência , outros para fugir da crise no Brasil, outros pela segurança e qualidade de vida ( que foi o meu caso) e por aí vai. Seja lá qual for seu motivo, cada um sabe o peso disso e o quanto pode aguentar.

Várias vezes eu já me vi colocando meus objetivos e expectativas na balança para me incentivar a ficar , porque eu confesso , não é tão  fácil pra mim viver por aqui. Sinto falta daquele sol quentinho no rosto, dos almoços de domingo na casa da minha melhor amiga, das idas à Serra visitar a família , dos cafés da tarde na amiga-vizinha, de contas em débito automático, dos depósitos com recibos, dos ralos no banheiro e na cozinha ( curioso? acesse: http://bit.ly/2viMej3) , de tomar banho a hora que quiser sem ter que esperar a água esquentar, da tv no meu idioma, de caminhar na beira da praia, dos médicos e da facilidade para fazer exames, dentre outros detalhes que pra mim, fazem toda diferença.

A Irlanda é bastante  segura, a qualidade de vida é ótima, tem  “unlimited card cineworld” ( que pra mim é o melhor de Dublin), tem reunião de brazucas , supermercado em geral é barato, chocolates gostosos e baratos, cerveja deliciosa, chuva e vento do kct ( essa combinação não permite o uso de sombrinhas) , tem a Penney’s ( paraíso para compras de roupas e tudo mais a um preço bem baixo), tem os europeus que gostam de passar dias sem banhos e que pedem desculpas por qualquer coisa, gritam no seu ouvido dentro do ônibus, te atendem mal nas lojas, tem a chuva , as contas chegam há cada dois meses (tem que torcer pra chegar se não voce se ferra), o simples fato de você ter uma TV te obrigada a pagar uma licença de 160 euros/ano (usando a tv ou não ), o ônibus param de circular às 23:30h, as lojas fecham às 18h , já falei da chuva??  – entre outras coisas.

Eu não vim com a intenção de viver “pra sempre” , a Irlanda é linda demais. Repleta de paisagens lindíssimas, apaixonante em vários aspectos – mas ela não é o meu lugar.

Um decisão é sempre tomada com o coração cheio de expectativas, cheio de esperanças em dias melhores.  Claro que às vezes a gente acaba decidindo errado e isso não é de todo o ruim porque ganhamos em aprendizado e amadurecimento.  Às vezes temos medo de tomar uma decisão e acabamos nos arrependendo. Eu prefiro colecionar aprendizados do que arrependimentos em não ter feito nada.

Seja qual for o meu destino no futuro, a Irlanda já  terá valido a pena pelas amizades que fiz aqui, pelo presente cultural que recebemos ao viver aqui , pelo aprendizado de vida, de idioma  e pelo fortalecimento de relações.

Esse post vai com a imagem do meu primeiro café em terras Irlandesas, o bolo de cenoura. Ficou curioso? Acesse :  http://bit.ly/2fsviRv

nj-91
Carrot cake

 

Cheers !

trevo_3_folhas_simbolo_da_irlanda

Saúde na Irlanda.

Ultimamente eu tenho recebido alguns contatos querendo informaçōes de como as coisas funcionam por aqui em relação à saúde e esse é um assunto que deixa alguns brasileiros bem incomodados por aqui.

Particularmente, acho a saúde bem precária por aqui.  Se no Brasil você tem um plano de saúde, quando chega aqui fica chocado com o sistema de saúde irlandês, assim como eu fiquei. Aqui não existe saúde pública como a nossa (com exceção de quem tem o medical card – cidadãos europeus que se encaixem em algumas exigências, aposentados e crianças até os 6 anos de idade).

Agora começa a “treta” :  quando você precisa de atendimento, a primeira coisa a se fazer é marcar uma consulta com um GP – General Practitioner (o Clínico Geral), que geralmente cobra algo entre €50 e €70 .  Aí se o seu problema requer um profssional especializado, é ele que encaminha você para o especialista ( ele vai perguntar se você quer ir pelo sistema público ou privado). Se optar pelo público, a espera pode ser  bem longa  – estamos falando de meses – bem similar ao SUS. Claro que se for privado isso será bem mais rápido. Se o atendimento for urgente, você pode ir direto a um hospital , que geralmente cobra uma taxa de €100 ( que inclui exames caso você precise fazer).

Vale lembrar que se você passar primeiro pelo GP e ele te encaminhar ao hospital, você não paga a taxa de urgência (€100 ), paga apenas a consulta do GP.

Tem também a opção do seguro saúde, que são bem diferentes do nosso plano de saúde no Brasil e nem todos cobrem consultas com o GP , no máximo um reembolso parcial .

Esse seguro privado seria como um convênio médico ( semelhante aos planos de saúde) e ele garante uma cobertura mais ampla do que o Governamental.  Como eu moro aqui, acabei fazendo mas sinceramente não sei se valhe a pena. Por exemplo: exames, consultas, internação e alguns outros procedimentos são cobertos por esta modalidade.

Quanto custa: Em média, € 850
Validade: 1 ano
Onde comprar: Laya HealthcareVHI Health InsuranceAviva ou Glohealth
 

Serviços de emergência em Dublin:

Caso você precise de uma ambulância ou atendimento de emergência ligue: 999 ou 112.

Hospitais públicos de Dublin (localizados na região central)

Rotunda Maternity Hospital – Dublin 1

St. Joseph’s Hospital – Raheny, Dublin 5

Mater Misericordiae University Hospital – Dublin 7

St. James Hospital – Rialto, Dublin 8

Beaumount Hospital – Dublin 9

“Not to bad”

Vira e mexe alguém que está no Brasil me manda mensagem perguntando como está a vida aqui, se já me adaptei, se estou feliz etc etc.  Sinceramente, fico sem saber seu que responder  às vezes.

Não é tão fácil quanto parece, nem como nos filmes que as pessoas estão felizes e sorridentes o tempo todo.São muitos problemas a serem enfrentados todos os dias!

Por falar em problemas…

Sei que a saúde pública  no Brasil é uma merda e muitas vezes os planos de saúde também são (como eu sinto falta do meu plano de saúde!), mas experimenta precisar de médico na Irlanda pra ver como é complicado. Se você estiver passando mal você vai ao GP (nosso clínico geral do Brasil) e paga na faixa de 50€ a consulta. Se ele achar necessário vai te encaminhar  para o hospital ou para um médico específico e se achar necessário também pedirá algum exame (não sei quanto tempo demora).  Fazer exames de rotinas aqui, check-up só porque você tem o hábito de fazer, esquece! O sistema de saúde deles é bem estranho.

Essa complicação se estende a compra de remédios. Basicamente, a maioria deles precisa de receita do GP (aquele que você paga 50€).

Tem também o fuso horário e a correria que quando você se dá conta passou o dia ou vários dias e você não falou com a família/amigos no Brasil como deveria. Aí vem a sensação de abandono 🙁😕

Sério! Tem hora que me surpreendo com a passagem a jato do tempo, parece que você não fez nada mas só eu sei o quanto de coisas eu fiz em um dia.

Estudar ocupa quase meu dia todo e por falar em estudos, as escolas estão me tirando do sério com sua falta de discernimento, intolerância zero para atrasos. Me irrita ver um colega que perdeu o ônibus ou teve um imprevisto e se atrasou, não poder assistir a aula por alguns minutos de atraso (antes havia uma tolerância de 5 minutos de atraso).  Sei que normas são normas, mas se informe sobre o que pode e oque não pode na escola que você vai escolher porque por mais que você seja pontual, uma hora acontece um imprevisto e você vai ficar puto com essa regra porque  a maioria dos estudantes são  intercâmbistas e precisam comprovar presença. Pesquise sobre a escola quando decidir fazer seu intercâmbio.

Quando pergunto a algum irish como ele está, seja no mercado ou alguma loja  e me  respondem “Not to bad’ no começo eu achava super estranho mas hoje entendo porque me sinto assim na maioria das vezes … Você não tá bem mas também não está tão mal.

img-20170412-wa0054.jpeg
Dublin hoje.

De graça é melhor!

Toda primeira quarta-feira do mês, é possível visitar galerias, museus, castelos,  monumentos históricos e parques, que estão abertos para visitação gratuita aqui na Irlanda. Que tal conhecer alguns lugares nessa quarta?

No mës passado eu conheci o Dublin Castle, que já é lindo por fora e o interior cheio de histórias e super bem conservado.

 

Curtiu? Vai lá nessa quarta e aproveite ! Ele fica na Dame St, Dublin 2

Cheers! trevo_3_folhas_simbolo_da_irlanda

Living abroad is not as easy as it seems.

Unfortunately it is not just happy experiences that one person faces, and that’s why I’m here now.I just had a really bad experience. I was on my way home on Dublin’s main street and somebody threw an egg in my face. I do not know where it came from or how it was. It was too fast and too painful. The first reaction was to scream because I felt frightened and it was really painful ( the egg hit my eye) and I cried until I had nothing to cry about.

It happened half an hour ago and It is still hard to say how I feel right now. I felt a mix of anger with disappointment …Living in another country is not living on vacation. Life is hard and prejudice against foreigners exists and actions like these are true examples

  • Be patient I’m still learning english.

IMG_20170325_065340_663

Collaborator:   Flavia Paci 🙂  Thank you 🙂

 

Morar fora não é um mar de rosas.

Não é só de experiências felizes que vive uma pessoa – pelo contrário – e é por isso que estou aqui agora.

Acabei  de ter uma experiência muito  ruim. Estava vindo pra casa pela avenida principal  de Dublin e fui alvejada  com um ovo no rosto. Não sei de onde veio, nem como foi. Foi rápido e doloroso demais. A primeira reação foi gritar com o susto e a dor  que senti (com o ovo batendo em cima do meu olho)  e chorar até não ter mais o que chorar.  Difícil dizer como me sinto nesse momento, cerca de meia hora depois do ocorrido. Sinto uma mistura de raiva com decepção…

Viver em outro país não é viver de férias. A vida é difícil e o preconceito com os estrangeiros existe e se faz presente em ações como essas.

IMG_20170325_065340_663

Ja tinha escutado alguns brasileiros nos fóruns comentando sobre esse fato, sobre a prática de xenofobia , não posso afirmar se foi isso que aconteceu comigo mas segue  a definição:

Xenofobia significa aversão a pessoas ou coisas estrangeiras.

O termo é de origem grega e se forma a partir das palavras “xénos” (estrangeiro) e “phóbos” (medo). A xenofobia pode se caracterizar como uma forma de preconceito. 

O preconceito gerado pela xenofobia é algo controverso. Geralmente se manifesta através de ações discriminatórias e ódio por indivíduos estrangeiros. Há intolerância e aversão por aqueles que vêm de outros países ou diferentes culturas, desencadeando diversas reações entre os xenófobos.

Triste! Mas vida que segue.

Bola pra frente!

St Patrick’s day.

Meu primeiro dia de St Patrick na Irlanda…

Me vesti toda de verde, comprei adereços e fui pra rua ver de perto a festa mais esperada da Irlanda.

20170318_092907.png

Claro que teve chuva (estamos em Dublin né?!)  mas o pior foi a ventania absurda que rolou o dia todo e como eu não encontrei transporte na minha região, o jeito foi andar contra o vento para chegar no centro.

Muita gente na rua, não vi nenhum incidente, nenhuma confusão, nada. Tudo bem organizado e ainda que seja um desfile simples (não queira comparar com nossos Carnaval no Brasil né?!), foi um desfile bonito.

Não encontrei cerveja verde pra beber, na verdade, foi impossível entrar nos pubs para procurar.

Algumas das minhas fotos de hoje!

Cheers!

St. Patrick’s Day

 

Está chegando o dia mais esperado na Irlanda… 17 de março!

Nesse dia todo mundo acaba sendo um pouco irlandês.  Ainda que o dia de São Patrício seja feriado em apenas  alguns lugares como a  Irlanda, Irlanda do Norte, Terra Nova, Labrador e Montserrat  – o St Patrick’s Day é comemorado no mundo todo.

2014030432

Algumas curiosidades sobre esse dia:

  • St. Patrick é um dos mais famosos santos padroeiros da Irlanda: De acordo com a lenda, ele trouxe o cristianismo para a ilha, fez o trevo virar moda e libertou Irlanda das cobras. O feriado marca a morte de St. Patrick e tem sido comemorado por mais de 1500 anos.
  • A Irlanda só começou a comemorar oficialmente o dia em 1903 e só lá pelo ano  de 1960 que a lei permitiu que os bares e pubs abrissem no dia da comemoração. Claro que isso mudou muito a comemoração que até então, era mais religiosa.
  •  St. Patrick  na verdade  era realmente britânico. De acordo com a lenda, ele foi vendido como escravo na Irlanda, quando ele era um adolescente, tornou-se religioso, escapou e voltou para a Inglaterra, tornou-se um sacerdote chamado Patrick e começou a converter todos os celtas irlandeses pagãos ao Cristianismo.
  • Os irlandeses dizem que St. Patrick usava trevos para explicar a Santíssima Trindade (Deus, Filho e Espírito Santo). Os celtas acreditavam que cada folha do trevo tem um significado e isso tornou o trevo um item bem conhecido por aqui. trevo_3_folhas_simbolo_da_irlanda
  • Segundo a lenda,  St. Patrick foi libertado da Irlanda por cobras e na Irlanda não existem cobras, a explicação é que as cobras representam uma metáfora ao paganismo que foi forçou St. Patrick a ir embora. Lendas…será?
  • No dia de St Patrick a maioria das pessoas usam verde. Sério! Do cabelo às roupas e acredite: até cerveja!  E não para por aí: qualquer coisa que você possa adicionar corante verde você vai encontrar, como rios e monumentos  que tornam-se verdes para comemorar a ocasião.
  • Durante o dia de St Patrick, o consumo mundial da marca de cerveja Guinness chega quase a triplicar e atinge 13 milhões de litros no dia da comemoração.
  • Várias lojas já estão vendendo roupas e adereços para o famoso desfile de St Patrick.

Vai ficar de fora? Vejo vocês no desfile!!

20170305_151919
Decoração da Disney Store.

Cheers!!!

trevo_3_folhas_simbolo_da_irlanda